Agronegócio

15 jul 21 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de frangos e de suínos recuam em junho

Dados são medidos pela Embrapa Suínos e Aves

Custos de produção de frangos e de suínos recuam em junho
Imprimir

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos interromperam uma sequência de dois meses de aumento para registrar queda em junho segundo os estudos mensais publicado pela a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, que disponibiliza as informações no site embrapa.br/suinos-e-ave/cias. Tanto o ICPFrango (399,10) quanto o ICPSuíno (390,22) voltaram a ficar abaixo dos 400 pontos, o que não acontecia desde março.


Em junho, o ICPFrango caiu 2,11%, principalmente devido à redução dos custos com a alimentação dos animais (-2,78%), apesar do aumento de 0,63% nos gastos com a aquisição dos pintos de um dia./ Ainda assim, o ICPFrango acumula alta de 18,47% somente em 2021 e de 52,30% nos últimos 12 meses. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, caiu R$ 0,11 em junho com relação a maio, passando de R$ 5,27 para R$ 5,16.


Já o ICPSuíno baixou 6,50% em junho, também fortemente influenciado pelos custos com a nutrição (-6,61%). No ano de 2021, o ICPSuíno registra alta de 4,01%./ Nos últimos 12 meses, a variação é de 47,53%. Com isso, o custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu R$ 0,48 entre maio e junho, chegando a R$ 6,82.


Os estados de Santa Catarina e Paraná são usados como referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso/Embrapa)

15 jul 21 | 6h00 Por Jocimar Soares

Custos de produção de frangos e de suínos recuam em junho

Dados são medidos pela Embrapa Suínos e Aves

Custos de produção de frangos e de suínos recuam em junho

Os custos de produção de frangos de corte e de suínos interromperam uma sequência de dois meses de aumento para registrar queda em junho segundo os estudos mensais publicado pela a Central de Inteligência de Aves e Suínos da Embrapa, que disponibiliza as informações no site embrapa.br/suinos-e-ave/cias. Tanto o ICPFrango (399,10) quanto o ICPSuíno (390,22) voltaram a ficar abaixo dos 400 pontos, o que não acontecia desde março.


Em junho, o ICPFrango caiu 2,11%, principalmente devido à redução dos custos com a alimentação dos animais (-2,78%), apesar do aumento de 0,63% nos gastos com a aquisição dos pintos de um dia./ Ainda assim, o ICPFrango acumula alta de 18,47% somente em 2021 e de 52,30% nos últimos 12 meses. O custo de produção do quilo do frango de corte vivo no Paraná, produzido em aviário tipo climatizado em pressão positiva, caiu R$ 0,11 em junho com relação a maio, passando de R$ 5,27 para R$ 5,16.


Já o ICPSuíno baixou 6,50% em junho, também fortemente influenciado pelos custos com a nutrição (-6,61%). No ano de 2021, o ICPSuíno registra alta de 4,01%./ Nos últimos 12 meses, a variação é de 47,53%. Com isso, o custo por quilo vivo de suíno produzido em sistema de ciclo completo em Santa Catarina caiu R$ 0,48 entre maio e junho, chegando a R$ 6,82.


Os estados de Santa Catarina e Paraná são usados como referência nos cálculos por serem os maiores produtores nacionais de suínos e de frangos de corte, respectivamente.


(Fonte: Lucas Scherer Cardoso/Embrapa)