Agronegócio

13 jan 22 | 8h40 Por Cristiano Mortari

Autoridades de Concórdia entregam documento sobre estiagem à ministra da Agricultura

Tereza Cristina esteve em Chapecó reunida com lideranças do agronegócio na quarta-feira

Autoridades de Concórdia entregam documento sobre estiagem à ministra da Agricultura
Imprimir

O vice-prefeito, Edilson Massocco, e o secretário de Desenvolvimento Agropecuário, Mauro Martini, representaram Concórdia na visita da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Correa da Costa Dias, em Chapecó nesta quarta-feira, 12. A ministra esteve no município para verificar os impactos da estiagem nas cidades do Oeste e Meio Oeste catarinense, além de ouvir as demandas dos setores atingidos.

 

Os representantes de Concórdia entregaram um ofício solicitando isenções ou prorrogação de dívidas de investimentos e custeio, programas que ajudem a manter os preços dos produtos para evitar mais prejuízos ao setor, bem como, a disponibilização de recursos para se buscar alternativas de solução para as causas da crise hídrica, para que o produtor possa se manter na atividade.


Este será o terceiro ano consecutivo de estiagem na região e as perdas vão aumentando dia após dia. Em Concórdia os prejuízos giram em torno dos R$ 60 milhões, com impacto na produção de milho/silagem, leite e grãos, como o soja, por exemplo.


Informações: Ascom

13 jan 22 | 8h40 Por Cristiano Mortari

Autoridades de Concórdia entregam documento sobre estiagem à ministra da Agricultura

Tereza Cristina esteve em Chapecó reunida com lideranças do agronegócio na quarta-feira

Autoridades de Concórdia entregam documento sobre estiagem à ministra da Agricultura

O vice-prefeito, Edilson Massocco, e o secretário de Desenvolvimento Agropecuário, Mauro Martini, representaram Concórdia na visita da ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina Correa da Costa Dias, em Chapecó nesta quarta-feira, 12. A ministra esteve no município para verificar os impactos da estiagem nas cidades do Oeste e Meio Oeste catarinense, além de ouvir as demandas dos setores atingidos.

 

Os representantes de Concórdia entregaram um ofício solicitando isenções ou prorrogação de dívidas de investimentos e custeio, programas que ajudem a manter os preços dos produtos para evitar mais prejuízos ao setor, bem como, a disponibilização de recursos para se buscar alternativas de solução para as causas da crise hídrica, para que o produtor possa se manter na atividade.


Este será o terceiro ano consecutivo de estiagem na região e as perdas vão aumentando dia após dia. Em Concórdia os prejuízos giram em torno dos R$ 60 milhões, com impacto na produção de milho/silagem, leite e grãos, como o soja, por exemplo.


Informações: Ascom