Agronegócio

28 jan 21 | 15h23 Por Jocimar Soares

Agroindústrias familiares catarinenses são destaques em estudo da Epagri

Estudo foi desenvolvido pela Epagri

Agroindústrias familiares catarinenses são destaques em estudo da Epagri
Imprimir

Um estudo publicado pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri mostra uma evolução das agroindústrias familiares catarinenses. As agroindústrias familiares catarinenses têm sido usadas cada vez mais com uma estratégia importante para ampliação da renda e permanência das famílias no meio rural.


A produção de massa e panificação, aipim, frutas e derivados como geleias, sucos e compotas, foram as cadeias produtivas que tiveram maior número de novos empreendimentos abertos no período entre 2010 e 2017.


O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), José Walter Dresch, destaca que o Estado tem uma geografia que beneficia o plantio o ano inteiro, dos mais variados produtos, mas é preciso voltar os olhos também para o conhecimento.


“O clima e o solo são ricos em Santa Catarina, mas é necessário que o agricultor esteja preparado e evolua cada vez mais, com novas técnicas e métodos para otimizar a sua produção. Trabalhamos há anos, em parceria com o Senar e com a Epagri, desenvolvendo uma série de ações para que os trabalhadores rurais participem de cursos, palestrar e eventos que promovam atividades que agreguem valor na produção das pequenas propriedades resultando no desenvolvimento e aumento da renda familiar”, afirma Dresch.

28 jan 21 | 15h23 Por Jocimar Soares

Agroindústrias familiares catarinenses são destaques em estudo da Epagri

Estudo foi desenvolvido pela Epagri

Agroindústrias familiares catarinenses são destaques em estudo da Epagri

Um estudo publicado pelo Centro de Socioeconomia e Planejamento Agrícola da Epagri mostra uma evolução das agroindústrias familiares catarinenses. As agroindústrias familiares catarinenses têm sido usadas cada vez mais com uma estratégia importante para ampliação da renda e permanência das famílias no meio rural.


A produção de massa e panificação, aipim, frutas e derivados como geleias, sucos e compotas, foram as cadeias produtivas que tiveram maior número de novos empreendimentos abertos no período entre 2010 e 2017.


O presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), José Walter Dresch, destaca que o Estado tem uma geografia que beneficia o plantio o ano inteiro, dos mais variados produtos, mas é preciso voltar os olhos também para o conhecimento.


“O clima e o solo são ricos em Santa Catarina, mas é necessário que o agricultor esteja preparado e evolua cada vez mais, com novas técnicas e métodos para otimizar a sua produção. Trabalhamos há anos, em parceria com o Senar e com a Epagri, desenvolvendo uma série de ações para que os trabalhadores rurais participem de cursos, palestrar e eventos que promovam atividades que agreguem valor na produção das pequenas propriedades resultando no desenvolvimento e aumento da renda familiar”, afirma Dresch.