Geral

14 fev 20 | 8h02 Por Analu Slongo

Sepultamento de César Pellizzaro será às 16h desta sexta-feira

Velório acontece na igreja da comunidade de Lajeado dos Pintos

Sepultamento de César Pellizzaro será às 16h desta sexta-feira
Imprimir

Um acidente de trabalho tirou a vida do empresário do ramo de turismo rural e agricultor, César Pellizzaro, 53 anos. O corpo dele está sendo velado na igreja de Lajeado dos Pintos, interior de Concórdia, e o sepultamento está marcado para as 16h desta sexta-feira, 14 de fevereiro, também na comunidade.


César e a esposa Delci gerenciavam em Lajeado dos Pintos o Paiol dos Pelllizzaro – Armazém Nona Thereza, que servia almoços e jantares típicos italianos, preservava as tradições culturais da etnia e também contava com pousada. Eles também faziam parte do grupo Filó de Concórdia, que relembra histórias e costumes italianos com encenações.


Pellizzaro morreu na noite da quinta-feira, 13 de fevereiro, em uma serraria em Três Barras. Ele fazia  o corte de madeiras em uma serra fita, quando  se desequilibrou e caiu sobre o equipamento, sofrendo graves ferimentos na nuca. 

14 fev 20 | 8h02 Por Analu Slongo

Sepultamento de César Pellizzaro será às 16h desta sexta-feira

Velório acontece na igreja da comunidade de Lajeado dos Pintos

Sepultamento de César Pellizzaro será às 16h desta sexta-feira

Um acidente de trabalho tirou a vida do empresário do ramo de turismo rural e agricultor, César Pellizzaro, 53 anos. O corpo dele está sendo velado na igreja de Lajeado dos Pintos, interior de Concórdia, e o sepultamento está marcado para as 16h desta sexta-feira, 14 de fevereiro, também na comunidade.


César e a esposa Delci gerenciavam em Lajeado dos Pintos o Paiol dos Pelllizzaro – Armazém Nona Thereza, que servia almoços e jantares típicos italianos, preservava as tradições culturais da etnia e também contava com pousada. Eles também faziam parte do grupo Filó de Concórdia, que relembra histórias e costumes italianos com encenações.


Pellizzaro morreu na noite da quinta-feira, 13 de fevereiro, em uma serraria em Três Barras. Ele fazia  o corte de madeiras em uma serra fita, quando  se desequilibrou e caiu sobre o equipamento, sofrendo graves ferimentos na nuca.