Geral

14 ago 19 | 18h04 Por Jocimar Soares

Saretta pede ampliação do número de cirurgias de correção da fissura labiopalatina

Assunto foi debatido nesta semana na Assembleia Legislativa.

Saretta pede ampliação do número de cirurgias de correção da fissura labiopalatina
Imprimir

O deputado Neodi Saretta, presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, encaminhou uma solicitação ao Secretário de Estado da Saúde, pedindo a ampliação do número de cirurgias de correção da fissura labiopalatina no Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, em Joinville. De acordo com o deputado, a fila por esse procedimento tem aumentado bastante. “Tivemos informações de que o Governo do Estado diminuiu o número de cirurgias mensais de 32 para 20 e isso resultou no atraso e no aumento da fila para a correção”, disse o deputado. Saretta salientou que, em média, a demanda é de 50 cirurgias po r mês, uma vez que o hospital atende pacientes de todo o estado.


A cirurgia de correção da fissura labiopalatina é fundamental, pois as consequências da malformação são indefinidas, podendo causar dificuldades na alimentação, no ganho de peso, problemas na arcada dentária, no crescimento e desenvolvimento harmônico da face, na fala, na adaptação e desempenho social.


(Fonte: Susana Rigo/Ascom/Deputado Saretta)

14 ago 19 | 18h04 Por Jocimar Soares

Saretta pede ampliação do número de cirurgias de correção da fissura labiopalatina

Assunto foi debatido nesta semana na Assembleia Legislativa.

Saretta pede ampliação do número de cirurgias de correção da fissura labiopalatina

O deputado Neodi Saretta, presidente da Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa, encaminhou uma solicitação ao Secretário de Estado da Saúde, pedindo a ampliação do número de cirurgias de correção da fissura labiopalatina no Hospital Infantil Dr. Jeser Amarante Faria, em Joinville. De acordo com o deputado, a fila por esse procedimento tem aumentado bastante. “Tivemos informações de que o Governo do Estado diminuiu o número de cirurgias mensais de 32 para 20 e isso resultou no atraso e no aumento da fila para a correção”, disse o deputado. Saretta salientou que, em média, a demanda é de 50 cirurgias po r mês, uma vez que o hospital atende pacientes de todo o estado.


A cirurgia de correção da fissura labiopalatina é fundamental, pois as consequências da malformação são indefinidas, podendo causar dificuldades na alimentação, no ganho de peso, problemas na arcada dentária, no crescimento e desenvolvimento harmônico da face, na fala, na adaptação e desempenho social.


(Fonte: Susana Rigo/Ascom/Deputado Saretta)