Geral

12 nov 19 | 6h00 Por Jocimar Soares

Novo comando do PSL em Concórdia deve ser confirmado nos próximos dias

Presidente do PSL/SC confirma destituição do comando em Concórdia e não descarta diálogo com membros que estavam no comando de olho em 2020.

Novo comando do PSL em Concórdia deve ser confirmado nos próximos dias
Imprimir

O comando estadual do Partido Social Liberal, PSL, deve definir nesta semana a nominata da nova Executiva Municipal da sigla em Concórdia. O objetivo é já começar a estruturar o grupo partidário para as eleições municipais de 2020. Conforme informações já divulgadas em nível estadual, após a troca do presidente do partido que governa o estado, em Santa Catarina, todas as executivas municipais do PSL foram destituídas. Em Concórdia, a agremiação partidária vinha sendo comandada pela suplente de deputada estadual, Rutinéia Rossi.


Em entrevista a Rádio Aliança, o atual presidente do PSL Santa Catarina, deputado federal Fábio Schiochet, destacou que há tratativas para definição de nomes que vão comandar o partido em Concórdia. Sem apontar quais, o líder partidário garante que o próximo presidente do partido em Concórdia deverá reunir condições para ser pré-candidato a prefeito em 2020 ou estar alinhado com com o que pensa o partido "conservador nos costumes e liberal na economia". "Todos os nomes de pré-candidatos a prefeito de todos os municípios têm que ser alinhados com as diretrizes partidárias de direita", assegura. Por fim, ele garante que há conversas com alguns nomes e a confirmação do novo comando do PSL Concórdia poderá ocorrer ainda nesta semana.


Sobre a destituição das executivas municipais do partido em Santa Catarina, a imprensa estadual afirma que isso se deve ao racha que o partido sofreu em nível nacional, em que o atual presidente do PSL, Luciano Bivar, e o Presidente da República, Jair Bolsonaro, estariam polarizando uma disputa interna e, conforme informações de bastidores, o principal motivo seria a série de denúncias de candidaturas laranjas no último pleito eleitoral. Já outras informações apontam para uma disputa pelo controle do fundo partidário do PSL.Tal situação de divisão teria se espalhado pelos estados e em Santa Catarina, haveria o distanciamento do atual governador Carlos Moisés da Silva com o atual Presidente da República. Essa cisão também se espalhou pelos diretórios municipais, provocando o racha e a destituição do comando do partido em cada cidade.


Porém, perguntado sobre o motivo dessas destituições, o deputado federal, Fábio Schiochet, apresentou outra versão. "Tinha municípios em que havia quatro grupos do PSL e eles não queriam compor. Demos baixa em todos e vamos reorganizar", afirma.


Conforme já colocado, o PSL vinha sendo comandado pela suplente de deputada estadual, Rutineia Rossi. Nas eleições de 2018, ela fez 13.903 votos. Boa parte desse quantitativo em Concórdia, o que já lhe colocou na época na condição de vir a ser pré-candidata em um cargo na majoritária em 2020. Apesar de ser destituída do comando, o presidente do PSL/SC, deputado federal Fábio Schiochet, afirma que há possibilidade de diálogo. "A gente sabe do potencial da Rutineia e vamos conversar com ela para que faça parte desse projeto para Concórdia 2020", finaliza.





12 nov 19 | 6h00 Por Jocimar Soares

Novo comando do PSL em Concórdia deve ser confirmado nos próximos dias

Presidente do PSL/SC confirma destituição do comando em Concórdia e não descarta diálogo com membros que estavam no comando de olho em 2020.

Novo comando do PSL em Concórdia deve ser confirmado nos próximos dias

O comando estadual do Partido Social Liberal, PSL, deve definir nesta semana a nominata da nova Executiva Municipal da sigla em Concórdia. O objetivo é já começar a estruturar o grupo partidário para as eleições municipais de 2020. Conforme informações já divulgadas em nível estadual, após a troca do presidente do partido que governa o estado, em Santa Catarina, todas as executivas municipais do PSL foram destituídas. Em Concórdia, a agremiação partidária vinha sendo comandada pela suplente de deputada estadual, Rutinéia Rossi.


Em entrevista a Rádio Aliança, o atual presidente do PSL Santa Catarina, deputado federal Fábio Schiochet, destacou que há tratativas para definição de nomes que vão comandar o partido em Concórdia. Sem apontar quais, o líder partidário garante que o próximo presidente do partido em Concórdia deverá reunir condições para ser pré-candidato a prefeito em 2020 ou estar alinhado com com o que pensa o partido "conservador nos costumes e liberal na economia". "Todos os nomes de pré-candidatos a prefeito de todos os municípios têm que ser alinhados com as diretrizes partidárias de direita", assegura. Por fim, ele garante que há conversas com alguns nomes e a confirmação do novo comando do PSL Concórdia poderá ocorrer ainda nesta semana.


Sobre a destituição das executivas municipais do partido em Santa Catarina, a imprensa estadual afirma que isso se deve ao racha que o partido sofreu em nível nacional, em que o atual presidente do PSL, Luciano Bivar, e o Presidente da República, Jair Bolsonaro, estariam polarizando uma disputa interna e, conforme informações de bastidores, o principal motivo seria a série de denúncias de candidaturas laranjas no último pleito eleitoral. Já outras informações apontam para uma disputa pelo controle do fundo partidário do PSL.Tal situação de divisão teria se espalhado pelos estados e em Santa Catarina, haveria o distanciamento do atual governador Carlos Moisés da Silva com o atual Presidente da República. Essa cisão também se espalhou pelos diretórios municipais, provocando o racha e a destituição do comando do partido em cada cidade.


Porém, perguntado sobre o motivo dessas destituições, o deputado federal, Fábio Schiochet, apresentou outra versão. "Tinha municípios em que havia quatro grupos do PSL e eles não queriam compor. Demos baixa em todos e vamos reorganizar", afirma.


Conforme já colocado, o PSL vinha sendo comandado pela suplente de deputada estadual, Rutineia Rossi. Nas eleições de 2018, ela fez 13.903 votos. Boa parte desse quantitativo em Concórdia, o que já lhe colocou na época na condição de vir a ser pré-candidata em um cargo na majoritária em 2020. Apesar de ser destituída do comando, o presidente do PSL/SC, deputado federal Fábio Schiochet, afirma que há possibilidade de diálogo. "A gente sabe do potencial da Rutineia e vamos conversar com ela para que faça parte desse projeto para Concórdia 2020", finaliza.