Geral

16 jul 20 | 11h26 Por Jocimar Soares

Mesmo com o coronavírus, população não pode se descuidar com a dengue

Primeiro semestre desse ano já registra recorde no número de focos do mosquito da dengue.

Mesmo com o coronavírus, população não pode se descuidar com a dengue
Imprimir

Mesmo no início do segundo semestre, o município de Concórdia já registra o maior número de focos do mosquito da dengue em comparação com todo o ano passado. Aos 16 dias do sétimo mês do ano, já são 765 novos focos, ante 487 em todo o ano passado. Já em 2018 foram 97. Essas informações são do setor de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal da Saúde de Concórdia. Apesar do clima frio e com a pandemia do coronavírus em evidência, as autoridades de Saúde recomendam que é preciso ter cuidado também com o Aedes aegypti no período mais frio do ano.


Em entrevista ao Jornal Primeira Hora da Rádio Aliança, nesta quinta-feira, dia 12, o secretário municipal da Saúde de Concórdia, Geovani Bedin destaca que o aumento é fruto também do trabalho contínuo e diário nas armadilhas espalhadas pelo município de Concórdia. 

 

Apesar de ser inverno, Bedin destaca que a população não pode se descuidar da limpeza nos quintais das casas e no acúmulo de água parada. "Os ovos conseguem sobreviver por até 12 meses, ou seja, podem passar o inverno e eclodir no verão, que é mais quente", explica o secretário.


 

16 jul 20 | 11h26 Por Jocimar Soares

Mesmo com o coronavírus, população não pode se descuidar com a dengue

Primeiro semestre desse ano já registra recorde no número de focos do mosquito da dengue.

Mesmo com o coronavírus, população não pode se descuidar com a dengue

Mesmo no início do segundo semestre, o município de Concórdia já registra o maior número de focos do mosquito da dengue em comparação com todo o ano passado. Aos 16 dias do sétimo mês do ano, já são 765 novos focos, ante 487 em todo o ano passado. Já em 2018 foram 97. Essas informações são do setor de Vigilância Epidemiológica, da Secretaria Municipal da Saúde de Concórdia. Apesar do clima frio e com a pandemia do coronavírus em evidência, as autoridades de Saúde recomendam que é preciso ter cuidado também com o Aedes aegypti no período mais frio do ano.


Em entrevista ao Jornal Primeira Hora da Rádio Aliança, nesta quinta-feira, dia 12, o secretário municipal da Saúde de Concórdia, Geovani Bedin destaca que o aumento é fruto também do trabalho contínuo e diário nas armadilhas espalhadas pelo município de Concórdia. 

 

Apesar de ser inverno, Bedin destaca que a população não pode se descuidar da limpeza nos quintais das casas e no acúmulo de água parada. "Os ovos conseguem sobreviver por até 12 meses, ou seja, podem passar o inverno e eclodir no verão, que é mais quente", explica o secretário.