Esportes

16 mai 24 | 10h42 Por Alisson Martins

Morre o narrador esportivo Silvio Luiz aos 89 anos, após mal-estar ao vivo

Morre o narrador esportivo Silvio Luiz aos 89 anos, após mal-estar ao vivo
Imprimir

Ícone da narração esportiva, Silvio Luiz morreu aos 89 anos na manhã desta quinta (16). O locutor tinha sido internado no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, após sofrer uma indisposição enquanto narrava a final do Campeonato Paulista. Em 8 de maio, ele voltou a ser hospitalizado na instituição, dessa vez na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A causa da morte ainda não foi revelada.

SIGA A ALIANÇA FM NAS REDES SOCIAIS:

Em abril, Silvio passou 23 dias internado, e recebeu alta hospitalar em 30 de abril. Ele teve um mal-estar ao transmitir a partida entre Palmeiras e Santos pelos canais digitais da Record. O veterano subitamente ficou em silêncio e deixou os telespectadores preocupados.

Os humoristas Márvio Lúcio, o Carioca, e Marcos Chiesa, o Bola, deram continuidade à transmissão. "Vamos dar uma descansada aí, Silvio. Vai tomar um arzinho e depois você volta", disse Carioca, na ocasião.

Na transmissão, o público viu o comunicador deixar o estúdio em uma cadeira de rodas. O hospital não divulgou mais detalhes sobre Silvio em nenhuma das ocasiões em que foi internado.

Carreira

Silvio Luiz foi um apaixonado pelo rádio e pelo esporte desde a infância. Quando criança, acompanhava a mãe, Elizabeth Darcy (1912-2010), ao trabalho na rádio Tupi. Ela foi uma das mulheres pioneiras na locução.

Em 1952, ele começou sua carreira como locutor de rádio. Passou pela rádio Paulista, Record e Bandeirantes antes de ir para a TV. Na antiga TV Paulista, ele se tornou o primeiro repórter esportivo a atuar em campo.

Em 1953, ele formou a primeira equipe esportiva da Record, e fez parte de transmissões históricas, como a primeira exibição de um jogo da Seleção Brasileira simultaneamente à TV Rio e a primeira transmissão esportiva interestadual da TV brasileira.

Além de narrador, Silvio foi ator e árbitro de futebol. Ele fez parte do elenco da primeira versão de Éramos Seis (1958) e Cela da Morte (1958), além de ter sido jurado do programa Quem Tem Medo da Verdade? (1968).

O veterano atuou como árbitro até os anos 1970. Ele ficou marcado por estrear o famoso estádio do Morumbi, como um dos assistentes da partida inaugural.

Sua carreira, porém, foi destaque na locução esportiva. Com um timbre de voz inconfundível, Silvio Luiz foi inovador e pioneiro na época em que narrava jogos de futebol, e imprimiu características que não faziam parte do cotidiano de narradores da época.

Com humor e ironia, ele inventou bordões que são usados até hoje, como "pelas barbas do profeta" e "olho no lance". Ele reinventou a forma de transmitir uma partida na TV, sem a necessidade de narrar aquilo que o público está vendo.


UOL

16 mai 24 | 10h42 Por Alisson Martins

Morre o narrador esportivo Silvio Luiz aos 89 anos, após mal-estar ao vivo

Morre o narrador esportivo Silvio Luiz aos 89 anos, após mal-estar ao vivo

Ícone da narração esportiva, Silvio Luiz morreu aos 89 anos na manhã desta quinta (16). O locutor tinha sido internado no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo, após sofrer uma indisposição enquanto narrava a final do Campeonato Paulista. Em 8 de maio, ele voltou a ser hospitalizado na instituição, dessa vez na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). A causa da morte ainda não foi revelada.

SIGA A ALIANÇA FM NAS REDES SOCIAIS:

Em abril, Silvio passou 23 dias internado, e recebeu alta hospitalar em 30 de abril. Ele teve um mal-estar ao transmitir a partida entre Palmeiras e Santos pelos canais digitais da Record. O veterano subitamente ficou em silêncio e deixou os telespectadores preocupados.

Os humoristas Márvio Lúcio, o Carioca, e Marcos Chiesa, o Bola, deram continuidade à transmissão. "Vamos dar uma descansada aí, Silvio. Vai tomar um arzinho e depois você volta", disse Carioca, na ocasião.

Na transmissão, o público viu o comunicador deixar o estúdio em uma cadeira de rodas. O hospital não divulgou mais detalhes sobre Silvio em nenhuma das ocasiões em que foi internado.

Carreira

Silvio Luiz foi um apaixonado pelo rádio e pelo esporte desde a infância. Quando criança, acompanhava a mãe, Elizabeth Darcy (1912-2010), ao trabalho na rádio Tupi. Ela foi uma das mulheres pioneiras na locução.

Em 1952, ele começou sua carreira como locutor de rádio. Passou pela rádio Paulista, Record e Bandeirantes antes de ir para a TV. Na antiga TV Paulista, ele se tornou o primeiro repórter esportivo a atuar em campo.

Em 1953, ele formou a primeira equipe esportiva da Record, e fez parte de transmissões históricas, como a primeira exibição de um jogo da Seleção Brasileira simultaneamente à TV Rio e a primeira transmissão esportiva interestadual da TV brasileira.

Além de narrador, Silvio foi ator e árbitro de futebol. Ele fez parte do elenco da primeira versão de Éramos Seis (1958) e Cela da Morte (1958), além de ter sido jurado do programa Quem Tem Medo da Verdade? (1968).

O veterano atuou como árbitro até os anos 1970. Ele ficou marcado por estrear o famoso estádio do Morumbi, como um dos assistentes da partida inaugural.

Sua carreira, porém, foi destaque na locução esportiva. Com um timbre de voz inconfundível, Silvio Luiz foi inovador e pioneiro na época em que narrava jogos de futebol, e imprimiu características que não faziam parte do cotidiano de narradores da época.

Com humor e ironia, ele inventou bordões que são usados até hoje, como "pelas barbas do profeta" e "olho no lance". Ele reinventou a forma de transmitir uma partida na TV, sem a necessidade de narrar aquilo que o público está vendo.


UOL