Esportes

23 jan 21 | 10h49 Por André Krüger

Mais nova entre as finalistas, Antonella Bassani ressalta participação na Seletiva da FIA e Ferrari

Pilota catarinense de 14 anos foi uma das quatro finalistas no programa

Mais nova entre as finalistas, Antonella Bassani ressalta participação na Seletiva da FIA e Ferrari
Imprimir

Em anúncio feito nesta sexta-feira, dia 22, através de Live no Facebook da comissão FIA Women In Motorsport, chegou ao fim a primeira edição do FIA Girls on Track – Rising Stars, seletiva promovida pela Federação Internacional de Automobilismo, para incentivar a presença feminina no automobilismo e escolher a primeira mulher a fazer parte do time da Academia Ferrari de Pilotos. Antonella Bassani estava entre as 4 finalistas do programa, mas a selecionada foi a holandesa/belga Maya Weug, de 16 anos, que vai disputar o Campeonato Italiano da Fórmula 4 nesta temporada.


O desempenho de Antonella, uma das mais jovens do programa e única finalista que nunca tinha tido contato com um carro de F4 antes da seletiva, impressionou e rendeu elogios dos engenheiros da equipe.


A catarinense de 14 anos também comemorou sua participação. “Fiquei muito feliz primeiro só por ter essa oportunidade, por chegar na final e aprender tanto com essa experiência. Todo o processo foi incrível, competindo em um nível de exigência tão alto, com uma estrutura tão profissional, e interagindo com pilotas de todo o mundo”, disse Antonella.


Dentre mais de 70 inscritas no início de 2020, através do envio de currículos, 20 meninas foram selecionadas para a fase presencial do FIA Girls On Track – Rising Stars, que aconteceu em outubro do ano passado. As três primeiras etapas aconteceram no Circuito de Paul Ricard, na França. As avaliações começaram com testes físicos, psicológicos, entrevistas e atividades práticas no kart.


Os testes iam evoluindo gradativamente, agregando sessões de simulador e primeiros contatos com o carro da Fórmula 4. A cada fase, 4 participantes eram eliminadas e Antonella foi passando por elas até a grande final, que aconteceria na sede da Ferrari, em Maranello, ainda em novembro.


Por conta da pandemia, a etapa decisiva aconteceu entre os dias 11 e 15 de janeiro e Antonella disputou a vaga com a também brasileira Júlia Ayoub (16 anos) e a francesa Doriane Pin (17 anos), além de Maya Weug. Os dois primeiros dias contaram com testes físicos e mentais, com o terceiro acrescentando sessões de simulador. Os dois últimos dias ficaram concentrados em atividades na pista de Fiorano, tudo sob os olhares e avaliação dos engenheiros e treinadores da Ferrari.


“Acho que tenho algumas conquistas a comemorar, era a mais jovem entre as finalistas e nunca tinha andando num F4 antes, e mesmo assim fui avançando. Foi uma experiência única estar em um lugar com tanta história como a casa da Ferrari. Vejo que isso me preparou de forma muito intensa para os próximos passos da minha carreira, e me deu uma visão ainda mais clara de tudo que posso alcançar! Vou continuar trabalhando com muita motivação”, completou Antonella.


Além do prêmio para a vencedora, as outras três finalistas terão direito a um treino com uma Ferrari 488 Challenge EVO – o modelo GT utilizado em uma das principais competições monomarca do mundo, o Ferrari Challenge.


De volta ao Brasil, a pilota já tem compromissos nas pistas em três finais de semana consecutivos. Neste sábado, dia 23, disputa o Campeonato Catarinense de Kart que acontece em Concórdia, sua cidade natal. Depois, segue para São Paulo onde compete na Copa São Paulo Light e Copa São Paulo KGV.


 

Fonte: Terra

23 jan 21 | 10h49 Por André Krüger

Mais nova entre as finalistas, Antonella Bassani ressalta participação na Seletiva da FIA e Ferrari

Pilota catarinense de 14 anos foi uma das quatro finalistas no programa

Mais nova entre as finalistas, Antonella Bassani ressalta participação na Seletiva da FIA e Ferrari

Em anúncio feito nesta sexta-feira, dia 22, através de Live no Facebook da comissão FIA Women In Motorsport, chegou ao fim a primeira edição do FIA Girls on Track – Rising Stars, seletiva promovida pela Federação Internacional de Automobilismo, para incentivar a presença feminina no automobilismo e escolher a primeira mulher a fazer parte do time da Academia Ferrari de Pilotos. Antonella Bassani estava entre as 4 finalistas do programa, mas a selecionada foi a holandesa/belga Maya Weug, de 16 anos, que vai disputar o Campeonato Italiano da Fórmula 4 nesta temporada.


O desempenho de Antonella, uma das mais jovens do programa e única finalista que nunca tinha tido contato com um carro de F4 antes da seletiva, impressionou e rendeu elogios dos engenheiros da equipe.


A catarinense de 14 anos também comemorou sua participação. “Fiquei muito feliz primeiro só por ter essa oportunidade, por chegar na final e aprender tanto com essa experiência. Todo o processo foi incrível, competindo em um nível de exigência tão alto, com uma estrutura tão profissional, e interagindo com pilotas de todo o mundo”, disse Antonella.


Dentre mais de 70 inscritas no início de 2020, através do envio de currículos, 20 meninas foram selecionadas para a fase presencial do FIA Girls On Track – Rising Stars, que aconteceu em outubro do ano passado. As três primeiras etapas aconteceram no Circuito de Paul Ricard, na França. As avaliações começaram com testes físicos, psicológicos, entrevistas e atividades práticas no kart.


Os testes iam evoluindo gradativamente, agregando sessões de simulador e primeiros contatos com o carro da Fórmula 4. A cada fase, 4 participantes eram eliminadas e Antonella foi passando por elas até a grande final, que aconteceria na sede da Ferrari, em Maranello, ainda em novembro.


Por conta da pandemia, a etapa decisiva aconteceu entre os dias 11 e 15 de janeiro e Antonella disputou a vaga com a também brasileira Júlia Ayoub (16 anos) e a francesa Doriane Pin (17 anos), além de Maya Weug. Os dois primeiros dias contaram com testes físicos e mentais, com o terceiro acrescentando sessões de simulador. Os dois últimos dias ficaram concentrados em atividades na pista de Fiorano, tudo sob os olhares e avaliação dos engenheiros e treinadores da Ferrari.


“Acho que tenho algumas conquistas a comemorar, era a mais jovem entre as finalistas e nunca tinha andando num F4 antes, e mesmo assim fui avançando. Foi uma experiência única estar em um lugar com tanta história como a casa da Ferrari. Vejo que isso me preparou de forma muito intensa para os próximos passos da minha carreira, e me deu uma visão ainda mais clara de tudo que posso alcançar! Vou continuar trabalhando com muita motivação”, completou Antonella.


Além do prêmio para a vencedora, as outras três finalistas terão direito a um treino com uma Ferrari 488 Challenge EVO – o modelo GT utilizado em uma das principais competições monomarca do mundo, o Ferrari Challenge.


De volta ao Brasil, a pilota já tem compromissos nas pistas em três finais de semana consecutivos. Neste sábado, dia 23, disputa o Campeonato Catarinense de Kart que acontece em Concórdia, sua cidade natal. Depois, segue para São Paulo onde compete na Copa São Paulo Light e Copa São Paulo KGV.


 

Fonte: Terra