Coronavírus

20 jul 21 | 7h35 Por Cristiano Mortari

Secretaria de Saúde de Concórdia volta a cobrar responsabilidade de quem não comparece à vacinação

Algumas pessoas fazem a primeira dose, mas não fazem a segunda e também há os que agendam e não vão

Secretaria de Saúde de Concórdia volta a cobrar responsabilidade de quem não comparece à vacinação
Imprimir

A secretária de Saúde de Concórdia, Leide Mara Bender, voltou a cobrar responsabilidade das pessoas convocadas para a vacinação contra a Covid-19. Muitas ainda estão deixando de fazer a segunda dose e outras agendam a primeira, mas não comparecem.

 

Há cerca de um mês Leide fez a cobrança e segundo ela as faltas diminuíram, porém, ainda há grupos que não cumprem com a obrigação. “A gente pede que a população colabore, cada um precisa fazer sua parte. Para que as pessoas fiquem imunizadas, é necessário fazer as duas doses”, reforça ela. “Observamos que muitos ficam brigando, questionando sobre as ações de vacinação, mas aí acabam agendando e não vão, ou não completam a imunização”, lembra Leide.

 

A secretária também registra que as ações de vacinação são planejadas conforme a chegada de doses. A Prefeitura depende do Governo do Estado e quando os lotes chegam, de imediato a logística de aplicação é elaborada e as equipes de imunização são mobilizadas. “O combate à pandemia depende de uma ação coletiva, nás fazemos a nossa parte e as pessoas precisam fazer a delas. Temos que priorizar a vacina, se marcou, não falte, não agende outro compromisso. É a população que tem que se adptar à agenda da vacinação, e não a vacinação à agenda das pessoas. Isso é uma questão de responsabilidade”, cobrou.

 

Leide Mara também lembra que quem agenda a primeira dose e não comparece fica com o CPF ativo no sistema de vacinação e a pessoa só vai conseguir se vacinar, se justificar a falta. “Quando abrimos o agendamento nas ações de vacinação, muitas pessoas tentam agendar e não conseguem, pois sempre são doses limitadas, ou seja, há várias pessoas aguardando e não é justo que quem agenda não vá e ainda tire a vaga de quem iria. Isso causa transtorno”, reclama. “Há casos de imprevistos e entendemos, mas mesmo assim, quem agenda e não vai, precisa justificar para que o CPF seja novamente liberado no sistema”, explica a secretária de Saúde. 

20 jul 21 | 7h35 Por Cristiano Mortari

Secretaria de Saúde de Concórdia volta a cobrar responsabilidade de quem não comparece à vacinação

Algumas pessoas fazem a primeira dose, mas não fazem a segunda e também há os que agendam e não vão

Secretaria de Saúde de Concórdia volta a cobrar responsabilidade de quem não comparece à vacinação

A secretária de Saúde de Concórdia, Leide Mara Bender, voltou a cobrar responsabilidade das pessoas convocadas para a vacinação contra a Covid-19. Muitas ainda estão deixando de fazer a segunda dose e outras agendam a primeira, mas não comparecem.

 

Há cerca de um mês Leide fez a cobrança e segundo ela as faltas diminuíram, porém, ainda há grupos que não cumprem com a obrigação. “A gente pede que a população colabore, cada um precisa fazer sua parte. Para que as pessoas fiquem imunizadas, é necessário fazer as duas doses”, reforça ela. “Observamos que muitos ficam brigando, questionando sobre as ações de vacinação, mas aí acabam agendando e não vão, ou não completam a imunização”, lembra Leide.

 

A secretária também registra que as ações de vacinação são planejadas conforme a chegada de doses. A Prefeitura depende do Governo do Estado e quando os lotes chegam, de imediato a logística de aplicação é elaborada e as equipes de imunização são mobilizadas. “O combate à pandemia depende de uma ação coletiva, nás fazemos a nossa parte e as pessoas precisam fazer a delas. Temos que priorizar a vacina, se marcou, não falte, não agende outro compromisso. É a população que tem que se adptar à agenda da vacinação, e não a vacinação à agenda das pessoas. Isso é uma questão de responsabilidade”, cobrou.

 

Leide Mara também lembra que quem agenda a primeira dose e não comparece fica com o CPF ativo no sistema de vacinação e a pessoa só vai conseguir se vacinar, se justificar a falta. “Quando abrimos o agendamento nas ações de vacinação, muitas pessoas tentam agendar e não conseguem, pois sempre são doses limitadas, ou seja, há várias pessoas aguardando e não é justo que quem agenda não vá e ainda tire a vaga de quem iria. Isso causa transtorno”, reclama. “Há casos de imprevistos e entendemos, mas mesmo assim, quem agenda e não vai, precisa justificar para que o CPF seja novamente liberado no sistema”, explica a secretária de Saúde.