Coronavírus

09 abr 20 | 10h22 Por Jocimar Soares

PM de Concórdia faz 29 orientações durante a quarta-feira

Decreto Estadual, que restringe o funcionamento de empresas, vai até a terça-feira, dia 13.

PM de Concórdia faz 29 orientações durante a quarta-feira
Imprimir

A Polícia Militar de Concórdia fez 29 orientações a empresas que estavam de portas abertas em toda a região do Alto Uruguai de Santa Catarina, durante a quarta-feira, dia 8. Todas elas são consideradas não essenciais e não estão autorizadas a abrir as portas por Portaria do Governo do Estado. Por outro lado, nenhuma empresa foi notificada, ou seja, não houve reincidência.


A orientação é feita em uma primeira abordagem, em que o responsável ou proprietário do local é convencido a fechar as portas. Se houver reincidência, é feita a Notificação, que resulta em processo judicial por descumprimento ao Decreto Estadual.


Desde o dia 17 do mês passado, por força de Decreto, estabelecimentos comerciais e empresariais, considerados não essenciais, estão proibidos de fazer o atendimento. O motivo é evitar a circulação de pessoas por conta do coronavírus.

09 abr 20 | 10h22 Por Jocimar Soares

PM de Concórdia faz 29 orientações durante a quarta-feira

Decreto Estadual, que restringe o funcionamento de empresas, vai até a terça-feira, dia 13.

PM de Concórdia faz 29 orientações durante a quarta-feira

A Polícia Militar de Concórdia fez 29 orientações a empresas que estavam de portas abertas em toda a região do Alto Uruguai de Santa Catarina, durante a quarta-feira, dia 8. Todas elas são consideradas não essenciais e não estão autorizadas a abrir as portas por Portaria do Governo do Estado. Por outro lado, nenhuma empresa foi notificada, ou seja, não houve reincidência.


A orientação é feita em uma primeira abordagem, em que o responsável ou proprietário do local é convencido a fechar as portas. Se houver reincidência, é feita a Notificação, que resulta em processo judicial por descumprimento ao Decreto Estadual.


Desde o dia 17 do mês passado, por força de Decreto, estabelecimentos comerciais e empresariais, considerados não essenciais, estão proibidos de fazer o atendimento. O motivo é evitar a circulação de pessoas por conta do coronavírus.