Coronavírus

23 jul 21 | 14h32 Por Cristiano Mortari

Médica do Hospital São Francisco diz que queda nos números da Covid-19 é resultado da vacinação

Clarissa Guedes ressalta a importância da imunização e dos cuidados de prevenção ao Coronavírus

Médica do Hospital São Francisco diz que queda nos números da Covid-19 é resultado da vacinação
Imprimir

Nas últimas semanas os números de casos confirmados para a Covid-19 em Concórdia tiveram uma queda. Os boletins da Prefeitura, que há pouco mais de um mês registravam mais de 100 casos por dia, agora têm apresentado números menores. Em entrevista ao Jornalismo da Aliança FM, a médica infectologista do Hospital São Francisco, Clarissa Guedes, destacou que a redução já reflete nos leitos do Hospital e ela atribui a melhora do cenário, à vacinação.

 

Clarissa, que é uma das profissionais que está na linha de frente ao combate à Covid-19 desde o início da pandemia, registrou que na medida em que a vacinação avança, caem os números de internação de forma proporcional. “Chegamos a ter 140 pacientes no pico da segunda onda da Covid-19, entre os meses de fevereiro e abril deste ano, hoje estamos com nove internados na UTI Covid e 10 internados na enfermaria Covid. É importante dizer que o principal fator de risco para adoecimento grave é não ter sido vacinado”, informou. “A idade da maioria dos pacientes internados está entre 40 e 50 anos, alguns sem comorbidades”, acrescentou.

 

A médica infectologista garante que a vacinação tem mostrado eficácia. “Certamente o número de casos de Covid que necessitam internação diminuiu desde que a vacinação teve início. A vacina e a única medida realmente eficaz para vencer uma pandemia, pois evita o colapso do sistema de saúde enquanto diminui a incidência de casos graves e pneumonias por Covid”, explicou Clarissa. “Sabemos que mesmo as variantes mais transmissíveis e letais têm se mostrado sensíveis às vacinas disponíveis no Brasil. Tudo indica que a vacinação será o meio de deter uma possível terceira onda da Covid no país”, relatou esperançosa.

 

Mesmo com um cenário mais calmo nas últimas semanas a médica infectologista alerta que a pandemia não acabou. Ainda há pacientes que apresentam quadros graves e que morrem em função de complicações causadas pela doença. Ela ressaltou que as medidas de prevenção ainda são necessárias. “É preciso fazer o distanciamento social, evitar aglomeração, usar máscaras e álcool gel.  São medidas preventivas importantes, principalmente enquanto a maioria da população ainda não recebeu a vacina. Outro fator importante é ter cuidado com a saúde física e mental, que são maneiras de proteger-se da Covid grave, principalmente entre as faixas etárias ainda não vacinadas. Assim, sendo empáticos e confiando na eficiência das vacinas, poderemos finalmente vencer esta pandemia”, solicitou Clarissa.

23 jul 21 | 14h32 Por Cristiano Mortari

Médica do Hospital São Francisco diz que queda nos números da Covid-19 é resultado da vacinação

Clarissa Guedes ressalta a importância da imunização e dos cuidados de prevenção ao Coronavírus

Médica do Hospital São Francisco diz que queda nos números da Covid-19 é resultado da vacinação

Nas últimas semanas os números de casos confirmados para a Covid-19 em Concórdia tiveram uma queda. Os boletins da Prefeitura, que há pouco mais de um mês registravam mais de 100 casos por dia, agora têm apresentado números menores. Em entrevista ao Jornalismo da Aliança FM, a médica infectologista do Hospital São Francisco, Clarissa Guedes, destacou que a redução já reflete nos leitos do Hospital e ela atribui a melhora do cenário, à vacinação.

 

Clarissa, que é uma das profissionais que está na linha de frente ao combate à Covid-19 desde o início da pandemia, registrou que na medida em que a vacinação avança, caem os números de internação de forma proporcional. “Chegamos a ter 140 pacientes no pico da segunda onda da Covid-19, entre os meses de fevereiro e abril deste ano, hoje estamos com nove internados na UTI Covid e 10 internados na enfermaria Covid. É importante dizer que o principal fator de risco para adoecimento grave é não ter sido vacinado”, informou. “A idade da maioria dos pacientes internados está entre 40 e 50 anos, alguns sem comorbidades”, acrescentou.

 

A médica infectologista garante que a vacinação tem mostrado eficácia. “Certamente o número de casos de Covid que necessitam internação diminuiu desde que a vacinação teve início. A vacina e a única medida realmente eficaz para vencer uma pandemia, pois evita o colapso do sistema de saúde enquanto diminui a incidência de casos graves e pneumonias por Covid”, explicou Clarissa. “Sabemos que mesmo as variantes mais transmissíveis e letais têm se mostrado sensíveis às vacinas disponíveis no Brasil. Tudo indica que a vacinação será o meio de deter uma possível terceira onda da Covid no país”, relatou esperançosa.

 

Mesmo com um cenário mais calmo nas últimas semanas a médica infectologista alerta que a pandemia não acabou. Ainda há pacientes que apresentam quadros graves e que morrem em função de complicações causadas pela doença. Ela ressaltou que as medidas de prevenção ainda são necessárias. “É preciso fazer o distanciamento social, evitar aglomeração, usar máscaras e álcool gel.  São medidas preventivas importantes, principalmente enquanto a maioria da população ainda não recebeu a vacina. Outro fator importante é ter cuidado com a saúde física e mental, que são maneiras de proteger-se da Covid grave, principalmente entre as faixas etárias ainda não vacinadas. Assim, sendo empáticos e confiando na eficiência das vacinas, poderemos finalmente vencer esta pandemia”, solicitou Clarissa.