Concórdia

10 set 21 | 9h30 Por Cristiano Mortari

Transportadores decidem que não haverá mobilização no fim de semana em Concórdia

Em entrevista à Aliança FM, um dos participantes disse que falta apoio da população e de grandes transportadoras

Transportadores decidem que não haverá mobilização no fim de semana em Concórdia
Imprimir

Os transportadores que estavam à frente da mobilização de caminhoneiros em Concórdia informaram ao Jornalismo da Aliança FM que não haverá manifesto no fim de semana.

 

Eles realizaram uma mobilização na manhã de quinta-feira, dia 09, na BR-153, na região da Vila Jacoob Biezus. O planejamento deles era manter o manifesto até à noite, mas atendendo ao pedido da Polícia Rodoviária Federal, PRF, eles encerraram durante a tarde, ainda da quinta.

 

Conforme os transportadores, havia a possibilidade de nova mobilização nesta sexta-feira, dia 10 e também durante o fim de semana. Segundo eles, motoristas que estão em Brasília repassariam orientações, mas na manhã desta sexta eles anunciaram que não haverá mais nenhuma ação. “Não vamos fazer mais nada, pois os manifestos perderam força e não adianta nós ficarmos em um ponto isolado, isso não dará resultado”, comentou um dos participantes, Luzardo Garcia. “Nós precisávamos de mais apoio da população e das empresas. Se 50% daquele pessoal que esteve na carretara de 7 de Setembro estivesse aqui na BR-153, seria diferente. Também não tivemos apoio das grandes transportadoras de Concórdia, que geralmente não auxiliam. Nós, que participamos do manifesto, somos em cinco ou seis, temos empresas pequenas e sozinhos sempre fazemos a nossa parte”, frisou.

 

O motorista também destacou que o grupo que participou do manifesto de quinta-feira, decidiu que não participará de outras ações, que não sejam exclusivas para defender causas referentes aos motoristas es transportadores. “Nós estávamos pensando no âmbito de Brasil, queríamos mudar alguma coisa em benefício de todos, mas sem apoio não surtiu efeito. Definimos que a partir de agora, só vamos participar de ações em busca dos nossos benefícios. Nós temos problemas com valores de óleo, impostos e tantas outras questões. A partir de agora vamos cuidar das nossas pautas, pelos outros a gente não corre mais atrás”, finalizou Garcia. 

10 set 21 | 9h30 Por Cristiano Mortari

Transportadores decidem que não haverá mobilização no fim de semana em Concórdia

Em entrevista à Aliança FM, um dos participantes disse que falta apoio da população e de grandes transportadoras

Transportadores decidem que não haverá mobilização no fim de semana em Concórdia

Os transportadores que estavam à frente da mobilização de caminhoneiros em Concórdia informaram ao Jornalismo da Aliança FM que não haverá manifesto no fim de semana.

 

Eles realizaram uma mobilização na manhã de quinta-feira, dia 09, na BR-153, na região da Vila Jacoob Biezus. O planejamento deles era manter o manifesto até à noite, mas atendendo ao pedido da Polícia Rodoviária Federal, PRF, eles encerraram durante a tarde, ainda da quinta.

 

Conforme os transportadores, havia a possibilidade de nova mobilização nesta sexta-feira, dia 10 e também durante o fim de semana. Segundo eles, motoristas que estão em Brasília repassariam orientações, mas na manhã desta sexta eles anunciaram que não haverá mais nenhuma ação. “Não vamos fazer mais nada, pois os manifestos perderam força e não adianta nós ficarmos em um ponto isolado, isso não dará resultado”, comentou um dos participantes, Luzardo Garcia. “Nós precisávamos de mais apoio da população e das empresas. Se 50% daquele pessoal que esteve na carretara de 7 de Setembro estivesse aqui na BR-153, seria diferente. Também não tivemos apoio das grandes transportadoras de Concórdia, que geralmente não auxiliam. Nós, que participamos do manifesto, somos em cinco ou seis, temos empresas pequenas e sozinhos sempre fazemos a nossa parte”, frisou.

 

O motorista também destacou que o grupo que participou do manifesto de quinta-feira, decidiu que não participará de outras ações, que não sejam exclusivas para defender causas referentes aos motoristas es transportadores. “Nós estávamos pensando no âmbito de Brasil, queríamos mudar alguma coisa em benefício de todos, mas sem apoio não surtiu efeito. Definimos que a partir de agora, só vamos participar de ações em busca dos nossos benefícios. Nós temos problemas com valores de óleo, impostos e tantas outras questões. A partir de agora vamos cuidar das nossas pautas, pelos outros a gente não corre mais atrás”, finalizou Garcia.