Concórdia

09 jul 20 | 6h00 Por Jocimar Soares

Revitalização do Calçadão: aproximadamente 50% das obras executadas

Trabalhos estão dentro do cronograma previsto. Em alguns trechos já foram construídas as calçadas e instalados os postes de iluminação.

Revitalização do Calçadão: aproximadamente 50% das obras executadas
Imprimir

Aproximadamente 50% das obras de revitalização do Calçadão já foram executadas, especialmente no primeiro trecho, entre a rua Getúlio Vargas até o Largo Rio Branco, onde estão sendo colocados pontos de iluminação e construídas as calçadas. Com investimento de R$ 4 milhões, o projeto contempla a parte arquitetônica e toda a estrutura elétrica subterrânea. Os trabalhos estão dentro do cronograma e a conclusão está prevista para o mês de outubro.


O novo Calçadão foi projetado diante de um conceito de rua compartilhada, promovendo a integração das pessoas com o ambiente. Após uma pesquisa com os usuários, identificou-se as principais queixas e expectativas em relação ao local. Desta forma, o projeto divide a rua sutilmente em calçada, ciclovia e via, priorizando os pedestres. Segundo o secretário de Planejamento, Daniel Faganello “o objetivo é ter uma estrutura que ofereça segurança e interação com as pessoas, para que elas possam se sentir motivadas a frequentarem o Calçadão” explica. 


Sobre os detalhes da obra, estão sendo colocados em alguns pontos um piso drenante, para não gerar acúmulo de água da chuva na calçada, assim como os jardins também retêm a água, direcionando para a rede pluvial. A iluminação será ofertada em duas alturas, uma mais baixa para iluminar a área de pedestres, e outra mais alta para dar luminosidade em toda a extensão da rua. 


O Calçadão também será arborizado, com vegetação adequada para não danificar o novo piso, e pontos de convivência, além da ciclovia que irá interligar com a Rua Coberta. Toda a estrutura elétrica, iluminação e telecomunicação será subterrânea, representando quase metade de todo o valor investido na obra, cerca de 1,8 milhão, custeado pela Contribuição para o Custeio dos Serviços de Iluminação Pública – COSIP.


(Fonte: Lana Correa Pinheiro)

09 jul 20 | 6h00 Por Jocimar Soares

Revitalização do Calçadão: aproximadamente 50% das obras executadas

Trabalhos estão dentro do cronograma previsto. Em alguns trechos já foram construídas as calçadas e instalados os postes de iluminação.

Revitalização do Calçadão: aproximadamente 50% das obras executadas

Aproximadamente 50% das obras de revitalização do Calçadão já foram executadas, especialmente no primeiro trecho, entre a rua Getúlio Vargas até o Largo Rio Branco, onde estão sendo colocados pontos de iluminação e construídas as calçadas. Com investimento de R$ 4 milhões, o projeto contempla a parte arquitetônica e toda a estrutura elétrica subterrânea. Os trabalhos estão dentro do cronograma e a conclusão está prevista para o mês de outubro.


O novo Calçadão foi projetado diante de um conceito de rua compartilhada, promovendo a integração das pessoas com o ambiente. Após uma pesquisa com os usuários, identificou-se as principais queixas e expectativas em relação ao local. Desta forma, o projeto divide a rua sutilmente em calçada, ciclovia e via, priorizando os pedestres. Segundo o secretário de Planejamento, Daniel Faganello “o objetivo é ter uma estrutura que ofereça segurança e interação com as pessoas, para que elas possam se sentir motivadas a frequentarem o Calçadão” explica. 


Sobre os detalhes da obra, estão sendo colocados em alguns pontos um piso drenante, para não gerar acúmulo de água da chuva na calçada, assim como os jardins também retêm a água, direcionando para a rede pluvial. A iluminação será ofertada em duas alturas, uma mais baixa para iluminar a área de pedestres, e outra mais alta para dar luminosidade em toda a extensão da rua. 


O Calçadão também será arborizado, com vegetação adequada para não danificar o novo piso, e pontos de convivência, além da ciclovia que irá interligar com a Rua Coberta. Toda a estrutura elétrica, iluminação e telecomunicação será subterrânea, representando quase metade de todo o valor investido na obra, cerca de 1,8 milhão, custeado pela Contribuição para o Custeio dos Serviços de Iluminação Pública – COSIP.


(Fonte: Lana Correa Pinheiro)