Concórdia

21 jan 22 | 17h00 Por Jocimar Soares

Prefeitura, Governo de SC e BRF confirmam ampliação do Projeto de Captação de Água no rio Uruguai

Nova reunião define por atender além da BRF, a comunidade concordiense

Prefeitura, Governo de SC e BRF confirmam ampliação do Projeto de Captação de Água no rio Uruguai
Imprimir

Além da BRF, a nova rede de captação de água da Casan no lago da Usina Hidrelétrica de Itá também vai servir à população de Concórdia. A informação é da Administração Municipal, já que uma reunião também envolvendo a Casan e representantes da BRF e Governo do Estado foi realizada na tarde desta sexta-feira, dia 21.


As obras iniciam ainda neste ano, com previsão de conclusão no segundo semestre de 2023. O projeto está sendo elaborado pela equipe de engenharia da BRF e agora, a vazão que seria de 600 mil metros cúbicos será de 1,2 milhão de metros cúbicos.


Na próxima segunda-feira, dia 24, acontece uma reunião entre o prefeito de Concórdia Rogério Pacheco e a direção estadual do Instituto do Meio Ambiente, o IMA. O objetivo do Executivo é sensibilizar o órgão para agilizar o trâmite desse processo, assim que o pedido de licença ambiental for protocolado.


A webconferência de hoje contou com a participação do secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, a diretora presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, os secretários municipais de Planejamento Daniel Faganello, Desenvolvimento Agropecuário, Mauro Martini, e Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Wagner Simioni e Rafael Santos, executivo da BRF. 


O assunto já havia sido tratado na semana passada em Florianópolis em reunião com a diretoria da Casan.


Inicialmente, o projeto estava sendo concebido para beneficiar somente a BRF, que hoje utiliza caminhões pipa para realizar o transporte de água para a unidade em épocas de estiagem. Com essa abertura, o entendimento é que a visão de futuro seja de pelo menos 20 anos. O aporte de recursos do Governo do Estado na obra poderá chegar aos R$ 50 milhões. "O secretário Paulo Eli reafirmou o que já havia nos dito em novembro do ano passado. O Governo do Estado vai aportar os recursos necessários ao projeto", comunicou Pacheco.


(Fonte: Com informações da Ascom)



21 jan 22 | 17h00 Por Jocimar Soares

Prefeitura, Governo de SC e BRF confirmam ampliação do Projeto de Captação de Água no rio Uruguai

Nova reunião define por atender além da BRF, a comunidade concordiense

Prefeitura, Governo de SC e BRF confirmam ampliação do Projeto de Captação de Água no rio Uruguai

Além da BRF, a nova rede de captação de água da Casan no lago da Usina Hidrelétrica de Itá também vai servir à população de Concórdia. A informação é da Administração Municipal, já que uma reunião também envolvendo a Casan e representantes da BRF e Governo do Estado foi realizada na tarde desta sexta-feira, dia 21.


As obras iniciam ainda neste ano, com previsão de conclusão no segundo semestre de 2023. O projeto está sendo elaborado pela equipe de engenharia da BRF e agora, a vazão que seria de 600 mil metros cúbicos será de 1,2 milhão de metros cúbicos.


Na próxima segunda-feira, dia 24, acontece uma reunião entre o prefeito de Concórdia Rogério Pacheco e a direção estadual do Instituto do Meio Ambiente, o IMA. O objetivo do Executivo é sensibilizar o órgão para agilizar o trâmite desse processo, assim que o pedido de licença ambiental for protocolado.


A webconferência de hoje contou com a participação do secretário de Estado da Fazenda, Paulo Eli, a diretora presidente da Casan, Roberta Maas dos Anjos, os secretários municipais de Planejamento Daniel Faganello, Desenvolvimento Agropecuário, Mauro Martini, e Desenvolvimento Econômico, Turismo e Inovação, Wagner Simioni e Rafael Santos, executivo da BRF. 


O assunto já havia sido tratado na semana passada em Florianópolis em reunião com a diretoria da Casan.


Inicialmente, o projeto estava sendo concebido para beneficiar somente a BRF, que hoje utiliza caminhões pipa para realizar o transporte de água para a unidade em épocas de estiagem. Com essa abertura, o entendimento é que a visão de futuro seja de pelo menos 20 anos. O aporte de recursos do Governo do Estado na obra poderá chegar aos R$ 50 milhões. "O secretário Paulo Eli reafirmou o que já havia nos dito em novembro do ano passado. O Governo do Estado vai aportar os recursos necessários ao projeto", comunicou Pacheco.


(Fonte: Com informações da Ascom)