Concórdia

16 set 19 | 14h37 Por Analu Slongo

Pegoraro assina moção pedindo recomposição do orçamento da Embrapa

Documento será encaminhado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e à ministra da Agricultura

Pegoraro assina moção pedindo recomposição do orçamento da Embrapa
Imprimir

Na tentativa de reverter os cortes de orçamento que atingem diretamente a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o vereador Evandro Pegoraro (PT) teve aprovada uma moção em que apela para que a baixa de 45% nos recursos seja revista. O documento é endereçado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. O apelo é para que seja recomposto orçamento da Embrapa referente ao corte na Lei Orçamentária do Exercício Financeiro de 2020.

Conforme o vereador, o corte no orçamento afeta toda a parte de pesquisa e pessoal. Ele considera que “a Embrapa desenvolve um importante trabalho de inovação tecnológica focada na geração de conhecimento e tecnologia para agropecuária brasileira”.

Ele comenta ainda “que diferente das Universidades e Institutos Federais, a Embrapa não tem pagamento de pessoal como uma despesa obrigatória do governo, ou seja, os recursos para salários e pesquisa são os liberados pela Lei Orçamentária”.


Fonte: Daisy Trombetta

16 set 19 | 14h37 Por Analu Slongo

Pegoraro assina moção pedindo recomposição do orçamento da Embrapa

Documento será encaminhado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e à ministra da Agricultura

Pegoraro assina moção pedindo recomposição do orçamento da Embrapa

Na tentativa de reverter os cortes de orçamento que atingem diretamente a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o vereador Evandro Pegoraro (PT) teve aprovada uma moção em que apela para que a baixa de 45% nos recursos seja revista. O documento é endereçado ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e à ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina. O apelo é para que seja recomposto orçamento da Embrapa referente ao corte na Lei Orçamentária do Exercício Financeiro de 2020.

Conforme o vereador, o corte no orçamento afeta toda a parte de pesquisa e pessoal. Ele considera que “a Embrapa desenvolve um importante trabalho de inovação tecnológica focada na geração de conhecimento e tecnologia para agropecuária brasileira”.

Ele comenta ainda “que diferente das Universidades e Institutos Federais, a Embrapa não tem pagamento de pessoal como uma despesa obrigatória do governo, ou seja, os recursos para salários e pesquisa são os liberados pela Lei Orçamentária”.


Fonte: Daisy Trombetta