Concórdia

09 dez 19 | 11h41 Por Analu Slongo

OUÇA - Votação do diagnóstico socioambiental ficará para 2020

Vereadores da base do governo e bancadas do PT e PSD queriam incluir na pauta das duas ultimas sessões de 2019

OUÇA - Votação do diagnóstico socioambiental ficará para 2020
Escute
Imprimir

O principal assunto debatido na Câmara de Vereadores de Concórdia na sessão desta segunda-feira, 9 de dezembro, foi a inclusão do diagnóstico socioambiental em pauta. O clima ficou tenso no Legislativo porque os vereadores da base do governo, as bancadas do PT e do PSD queriam que esta matéria fosse votada nas últimas sessões deste ano, o que não foi aceito pelo presidente Mauro Fretta (PSB). Ele destaca que não vai ceder às pressões (ouça o áudio acima).


Esse assunto é polêmico porque trata da flexibilização do afastamento do rio dos Queimados e afluentes na área urbana já consolidada. Em alguns locais a metragem da área sem construções pode ser reduzida de 15 para até cinco metros.


O líder do governo Fabiano Caitano (PSDB) diz que essa votação é muito aguardada pelos concordienses. Ele e o vereador Claiton Casagrande (PL) já adiantaram que vão fazer um requerimento para que esses projetos entrem em votação na última sessão de 2019, que será nesta terça-feira, 10 de dezembro.


09 dez 19 | 11h41 Por Analu Slongo

OUÇA - Votação do diagnóstico socioambiental ficará para 2020

Vereadores da base do governo e bancadas do PT e PSD queriam incluir na pauta das duas ultimas sessões de 2019

OUÇA - Votação do diagnóstico socioambiental ficará para 2020

O principal assunto debatido na Câmara de Vereadores de Concórdia na sessão desta segunda-feira, 9 de dezembro, foi a inclusão do diagnóstico socioambiental em pauta. O clima ficou tenso no Legislativo porque os vereadores da base do governo, as bancadas do PT e do PSD queriam que esta matéria fosse votada nas últimas sessões deste ano, o que não foi aceito pelo presidente Mauro Fretta (PSB). Ele destaca que não vai ceder às pressões (ouça o áudio acima).


Esse assunto é polêmico porque trata da flexibilização do afastamento do rio dos Queimados e afluentes na área urbana já consolidada. Em alguns locais a metragem da área sem construções pode ser reduzida de 15 para até cinco metros.


O líder do governo Fabiano Caitano (PSDB) diz que essa votação é muito aguardada pelos concordienses. Ele e o vereador Claiton Casagrande (PL) já adiantaram que vão fazer um requerimento para que esses projetos entrem em votação na última sessão de 2019, que será nesta terça-feira, 10 de dezembro.