Concórdia

13 jul 20 | 13h12 Por Jocimar Soares

OUÇA: Após um mês de retorno, Hodierna registra baixa procura pelo serviço de transporte coletivo

Empresa diz que está adotando todas as medidas protocolares que visam a não proliferação do coronavírus.

OUÇA: Após um mês de retorno, Hodierna registra baixa procura pelo serviço de transporte coletivo
Escute
Imprimir

Após quase um mês de retorno aos trabalhos, a empresa Hodierna registra baixa procura pelo transporte coletivo urbano de passageiros, em Concórdia. Depois de um período de quarentena, a empresa, que detém a concessão do transporte de passageiros na Capital do Trabalho, destaca que está adotando todas as medidas protocolares para manter a higiene nos veículos e evitar o coronavírus. O gestor da Hodierna, Dagnor Schneider, em entrevista ao Mesa Redonda na manhã desta segunda-feira, dia 13, destacou que essas medidas vão desde a limitação no número de passsageiros, que não pode ser superior a 50% e a aplicação de álcool em gel para higienização.


Conforme Dagnor Schneider, antes eram em média 8 mil usuários por dia que utilizavam o serviço. Agora essa média diminuiu para aproximadamente 1,3 mil pessoas. Ele destaca que, com essa redução, o serviço pode ficar inviável em Concórdia.

13 jul 20 | 13h12 Por Jocimar Soares

OUÇA: Após um mês de retorno, Hodierna registra baixa procura pelo serviço de transporte coletivo

Empresa diz que está adotando todas as medidas protocolares que visam a não proliferação do coronavírus.

OUÇA: Após um mês de retorno, Hodierna registra baixa procura pelo serviço de transporte coletivo

Após quase um mês de retorno aos trabalhos, a empresa Hodierna registra baixa procura pelo transporte coletivo urbano de passageiros, em Concórdia. Depois de um período de quarentena, a empresa, que detém a concessão do transporte de passageiros na Capital do Trabalho, destaca que está adotando todas as medidas protocolares para manter a higiene nos veículos e evitar o coronavírus. O gestor da Hodierna, Dagnor Schneider, em entrevista ao Mesa Redonda na manhã desta segunda-feira, dia 13, destacou que essas medidas vão desde a limitação no número de passsageiros, que não pode ser superior a 50% e a aplicação de álcool em gel para higienização.


Conforme Dagnor Schneider, antes eram em média 8 mil usuários por dia que utilizavam o serviço. Agora essa média diminuiu para aproximadamente 1,3 mil pessoas. Ele destaca que, com essa redução, o serviço pode ficar inviável em Concórdia.