Concórdia

07 nov 19 | 19h26 Por Jocimar Soares

Lançado sistema de monitoramento integrado entre sociedade e polícia civil

Projeto Concórdia Mais Segura: Tecnologia de ponta a serviço da segurança dos cidadãos.

Lançado sistema de monitoramento integrado entre sociedade e polícia civil
Imprimir

O prefeito Rogério Pacheco, acompanhado do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Wagner Simioni, e do diretor tributário e presidente do Fundo Municipal dos Direitos Difusos – FMDD, Leonir Vargas, estiveram no lançamento do novo sistema de monitoramento integrado, apresentado pela Associação Empresarial de Concórdia (ACIC), a Polícia Civil e a Administração Municipal. É o projeto "Concórdia Mais Segura", viabilizado através do FMDD.


O lançamento aconteceu nesta quinta-feira, 7 de novembro, no espaço Co.House Coworking, com a presença de autoridades, empresários e representantes de entidades envolvidas com o projeto. Para o prefeito, Rogério Pacheco, a iniciativa traz inúmeros benefícios “por meio de recursos do FMDD, foi possível viabilizar esta importante ferramenta que irá contribuir para a segurança pública, sendo Concórdia, mais uma vez, pioneira por ser a primeira cidade do oeste do Estado a adotar esse novo modelo de monitoramento”, comenta Pacheco.


O delegado regional, Marcelo Nogueira, entende que o projeto irá auxiliar a Polícia Civil na investigação de delitos e inibir a prática de crimes em estabelecimentos de Concórdia. “É um projeto pioneiro na região e que trará bastante eficiência para a investigação policial, com maior resolução dos crimes”, destaca o delegado. A iniciativa consiste em integrar as câmeras de vigilância, instaladas em estabelecimentos comerciais, ao sistema da Polícia Civil, já são 52 câmeras integradas. Isso possibilitará que os policiais obtenham as imagens desses estabelecimentos com muito mais rapidez. Atualmente, sem um sistema integrado, em caso de furto ou arrombamento, a Polícia precisa ir até o local e solicitar as imagens, perdendo um precioso tempo, que pode dificultar a resolução desses delitos.


(Fonte: Lana Correa Pinheiro/Ascom/Prefeitura de Concórdia)

07 nov 19 | 19h26 Por Jocimar Soares

Lançado sistema de monitoramento integrado entre sociedade e polícia civil

Projeto Concórdia Mais Segura: Tecnologia de ponta a serviço da segurança dos cidadãos.

Lançado sistema de monitoramento integrado entre sociedade e polícia civil

O prefeito Rogério Pacheco, acompanhado do secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo, Wagner Simioni, e do diretor tributário e presidente do Fundo Municipal dos Direitos Difusos – FMDD, Leonir Vargas, estiveram no lançamento do novo sistema de monitoramento integrado, apresentado pela Associação Empresarial de Concórdia (ACIC), a Polícia Civil e a Administração Municipal. É o projeto "Concórdia Mais Segura", viabilizado através do FMDD.


O lançamento aconteceu nesta quinta-feira, 7 de novembro, no espaço Co.House Coworking, com a presença de autoridades, empresários e representantes de entidades envolvidas com o projeto. Para o prefeito, Rogério Pacheco, a iniciativa traz inúmeros benefícios “por meio de recursos do FMDD, foi possível viabilizar esta importante ferramenta que irá contribuir para a segurança pública, sendo Concórdia, mais uma vez, pioneira por ser a primeira cidade do oeste do Estado a adotar esse novo modelo de monitoramento”, comenta Pacheco.


O delegado regional, Marcelo Nogueira, entende que o projeto irá auxiliar a Polícia Civil na investigação de delitos e inibir a prática de crimes em estabelecimentos de Concórdia. “É um projeto pioneiro na região e que trará bastante eficiência para a investigação policial, com maior resolução dos crimes”, destaca o delegado. A iniciativa consiste em integrar as câmeras de vigilância, instaladas em estabelecimentos comerciais, ao sistema da Polícia Civil, já são 52 câmeras integradas. Isso possibilitará que os policiais obtenham as imagens desses estabelecimentos com muito mais rapidez. Atualmente, sem um sistema integrado, em caso de furto ou arrombamento, a Polícia precisa ir até o local e solicitar as imagens, perdendo um precioso tempo, que pode dificultar a resolução desses delitos.


(Fonte: Lana Correa Pinheiro/Ascom/Prefeitura de Concórdia)