Concórdia

14 set 20 | 9h26 Por Jocimar Soares

Greve dos Correios deixa represada cerca de 20 mil correspondências e encomendas simples

Em Concórdia, dos 16 servidores que fazem entregas, cinco estão de braços cruzados

Greve dos Correios deixa represada cerca de 20 mil correspondências e encomendas simples
Imprimir

Cerca de 20 mil encomendas e correspondências simples estariam represadas nas agências dos Correios de Concórdia em função da greve dos entregadores da estatal. A informação foi obtida pela reportagem da Rádio Aliança. Uma parte dos servidores, que atua na área de entregas, está de braços cruzados em Concórdia desde a primeira quinzena do mês passado. 


A exemplo do que ocorre no país, somente as entregas urgentes e especiais estão sendo realizadas em Concórdia. A questão foi para dissídio e conforme informações o julgamento acontece no próximo dia 21. 


De acordo com o que foi apurado pela emissora, dos 16 servidores que atuam nessa área em Concórdia, cinco estão de braços cruzados.


Conforme a Rádio Aliança, os servidores pedem melhores condições de trabalho na pandemia do covid-19. Eles são contra o processo de privatização da empresa e reclamam de cortes de benefícios.

14 set 20 | 9h26 Por Jocimar Soares

Greve dos Correios deixa represada cerca de 20 mil correspondências e encomendas simples

Em Concórdia, dos 16 servidores que fazem entregas, cinco estão de braços cruzados

Greve dos Correios deixa represada cerca de 20 mil correspondências e encomendas simples

Cerca de 20 mil encomendas e correspondências simples estariam represadas nas agências dos Correios de Concórdia em função da greve dos entregadores da estatal. A informação foi obtida pela reportagem da Rádio Aliança. Uma parte dos servidores, que atua na área de entregas, está de braços cruzados em Concórdia desde a primeira quinzena do mês passado. 


A exemplo do que ocorre no país, somente as entregas urgentes e especiais estão sendo realizadas em Concórdia. A questão foi para dissídio e conforme informações o julgamento acontece no próximo dia 21. 


De acordo com o que foi apurado pela emissora, dos 16 servidores que atuam nessa área em Concórdia, cinco estão de braços cruzados.


Conforme a Rádio Aliança, os servidores pedem melhores condições de trabalho na pandemia do covid-19. Eles são contra o processo de privatização da empresa e reclamam de cortes de benefícios.