ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Polêmica no debate sobre salários em Itá
Vereadores sugerem cortes para o pagamento deles, do prefeito, vice e secretários
Publicado 23/04/2019
 

Por Analu Slongo

Os comentários sobre a sessão da Câmara de Vereadores de Itá realizada na segunda-feira, 22 de abril, não vão se esgotar tão cedo. Isso porque os vereadores da base do governo usaram a tribuna para propor a redução dos próprios salários e a oposição aproveitou o gancho para falar em reduzir a remuneração do prefeito, vice e secretários.

 

Os vereadores Claodir Valcarenghi (MDB), Cesar Lorscheitter (MDB), Valmir Burnier (MDB) e Maiquer Gritti (PP) fizeram uma indicação verbal sugerindo que a remuneração dos legisladores passe para um salário mínimo e o presidente receba 20% a mais de gratificação. “Um salário mínimo para nós vereadores é o suficiente. Nós aqui vamos tomar a iniciativa de dar o exemplo e reduzir o próprio salário. Vamos fazer a nossa parte para depois termos moral para cobrar das outras pessoas”, disse Valcarenghi na tribuna. Atualmente, a remuneração dos vereadores em Itá é R$ 2.503,54.

 

O vereador Alcir José (PR), o popular Branco, pediu uma parte e sugeriu mais cortes. “Nós vamos entrar com uma emenda a esse projeto e sugerir a redução de 50% do salário do prefeito, vice e secretários. Vamos diminuir dos que ganham bem e às vezes não cumprem o horário de trabalho. O município de Itá vai dar o exemplo”, pontua.

 

Branco também falou em retomar o debate para diminuir o número de vereadores de nove para sete e extinguir a função de vice-prefeito.  “É um cargo que não considero importante porque tem o presidente da Câmara que é a segunda autoridade do município”, afirma.

 

Na prática, o que os vereadores apresentaram foi um requerimento escrito pedindo a redução de salários do Legislativo. Para ocorrer estas mudanças é preciso que se faça um projeto de lei que seja submetido à discussão e votação dos vereadores. Além disso, há dúvidas sobre a constitucionalidade deste projeto. Se a ideia tiver prosseguimento, dificilmente será possível mudar a lei e reduzir os salários para a legislatura que já está em vigor.

 

A Câmara de Vereadores de Itá conta com cinco vereadores de oposição ao governo municipal e quatro de situação. Em tese, o projeto não teria votos suficientes para ser aprovado.

COMENTE