ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Vereadores falam em negociata na eleição da presidência da Câmara
Closmar Zagonel (MDB) e Edno Gonçalves (PDT) enviaram nota à imprensa contra a possibilidade de dividir o mandato
Publicado 06/12/2018
 

Por Analu Slongo

A eleição para a presidência e demais cargos da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores de Concórdia está “pegando fogo” nos bastidores. Na manhã desta quinta-feira, os vereadores Closmar Zagonel (MDB) e Edno Gonçalves (PDT) enviaram nota à imprensa contra a possibilidade de divisão do mandato de dois anos. “Ficar negociando cargos e vantagens para dividir o mandato de presidente é uma picaretagem que a sociedade não aceita mais”, destaca Zagonel.

 

A votação ocorre na próxima terça-feira, 11 de dezembro, na última sessão de 2018. O mandato é para o período de dois anos (2019/2020), mas a informação que circula é que haveria um presidente em 2019 e outro em 2020. Isso poderá acontecer se o presidente que for eleito na próxima semana renunciar ao cargo e ocorrer nova eleição.

 

Edno Gonçalves ressalta que mesmo que exista a possibilidade de renúncia, não concorda com essa conduta. “É amplamente imoral e a sociedade não aceita mais este tipo de negociata em troca de cargos e favores”, frisa.

 

Articulações

 

Por enquanto, nenhum nome foi oficializado para concorrer à presidência da Câmara de Vereadores. As informações de bastidores são que Jaderson Miguel Prudente (PSD) poderia dividir o mandato com outro vereador. Outra possibilidade ventilada é uma chapa formada com Mauro Fretta (PSB) concorrendo à presidência e algum nome do MDB como vice. Neste caso, Fretta ficaria no cargo durante os dois anos.

 

O líder do governo no Legislativo, Fabiano Caitano (PSDB) disse que tem interesse em presidir a Câmara. Anderson Guzzatto (PR) também confirmou que gostaria de ser o presidente. A bancada do PT provavelmente não indicará nomes à presidência.

COMENTE