ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Objetos que acumulam água devem ser retirados dos cemitérios / Foto: Tárcio Baron
Vasos de flores em cemitério devem ser evitados
Setor de Combate à Dengue alerta que não é permitido manter recipientes ou objetos criadouros do mosquito
Publicado 01/11/2018
 

Por Analu Slongo

Amanhã, 2 de novembro, é Dia de Finados e muitas pessoas fazem visitas aos cemitérios para levar flores. A preocupação que também surge é com a proliferação do mosquito transmissor da dengue. A chefe do Programa de Combate à Dengue em Concórdia, Mara Sampaio, diz que a recomendação é que se evitem objetos que acumulam água. “A lei ainda não proíbe, mas orientamos a não levar vasos porque não podemos deixar nada que seja possível criadouro de mosquito”, aconselha.

 

Quem quiser levar vasos de flores ao cemitério não será impedido. No entanto, é preciso que tenha ciência de que na semana seguinte à data de Finados as agentes de saúde farão o monitoramento e é possível que os vasos e outros objetos que possam ser criadouros do mosquito sejam retirados.

 

O que é recomendado levar

 

Mara Sampaio orienta que sejam levados ramalhetes de flores naturais, que serão removidos após murchar. As flores plantadas diretamente na terra não representam riscos, já as floreiras com areia e flor artificial não podem ser mantidas nos cemitérios.

 

Monitoramento

 

Em janeiro deste ano foram encontrados 22 focos do mosquito da dengue no Cemitério Municipal de Concórdia. Uma força-tarefa de fiscalização foi realizada, o que também gerou bastante polêmica entre a população.

 

O período crítico para a proliferação do mosquito da dengue vai de outubro a abril. Atualmente, o monitoramento no cemitério é feito a cada 15 dias. “Calor e água parada são o que mais favorece a proliferação do mosquito”, destaca Mara.

 

Neste ano foram registrados 79 focos do mosquito transmissor da dengue em Concórdia e não há nenhum caso de pessoas com a doença. O último foco foi encontrado no fim de setembro

COMENTE