ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Divulgação.
A possível senha do MDB na Administração Municipal
Entrada de Enori Bolsi nas Finanças pode ser mais um capítulo dessa proximidade entre Pacheco e Sopelsa.
Publicado 04/07/2018
 

Por Jocimar Soares

Depois da confirmação de Enori Bolsi para ocupar a Secretaria Municipal de Finanças da Prefeitura de Concórdia, é impossível não tecer leituras, interpretações e até conjecturas sobre o que pode acontecer na política local. Todos sabem que Bolsi é filiado ao MDB, inclusive ocupando essa mesma função de secretário nos anos 90, quando o "velho MDB de Guerra" comandava Concórdia. Entretanto, o partido não faz parte da coligação vencedora do último pleito municipal. Foi adversário derrotado em 2016.

 

O jornalismo, além de informar, também vive de leituras das movimentações do dia-a-dia. Essas interpretações de fatos do momento podem ser certeiras, precipitadas ou até mesmo desenganadas lá na frente. Não importa, leitura é leitura! E isso é construído com base nos fatos lançados no presente, através de uma costura com recortes e episódios do passado.

 

Quero dizer que, embora ainda seja cedo e dependa de outros acontecimentos futuros, a entrada de Bolsi, do MDB, na Prefeitura de Concórdia, pode ser uma senha para um possível embarque desse partido no Governo Municipal. Embora as argumentações para essa tese ainda sejam rasas, elas encontram, ao meu ver, sustentação em algumas situações. Em uma delas, certa figura carimbada do MDB opinou em uma conversa informal que a saída para o partido seria uma aproximação com o governo Pacheco e Massocco. Em um momento, que parecia ser de delírio, afirmou que a alternativa seria “entrar no Governo Municipal”, algo que não acontece desde que o PT iniciou o seu período de 16 anos no poder, lá no início dos anos 2000.

 

Porém, o fator mais notório é a proximidade entre o deputado estadual Moacir Sopelsa, um dos patriarcas do MDB, e o atual Governo Municipal. O parlamentar, até mesmo quando esteve como Secretário de Estado da Agricultura, sempre se mostrou solícito e atencioso com os pleitos levantados pela atual Administração. Inclusive recebendo e ajudando a intermediar os pedidos do Executivo Municipal. Os vídeos de whatsapp estão aí para comprovar isso!!!!

 

Tal estreitamento não fica só nesse gestual. Durante a posse da nova presidência da Associação Comercial e Industrial de Concórdia, nos discursos de Sopelsa e Pacheco, houve momentos de troca de elogios e gentilezas, não deixando dúvidas sobre essa proximidade que, diga-se de passagem, é saudável.

 

O que há de concreto até aqui é que a escolha de Enori Bolsi para as Finanças não leva em conta as questões partidárias. O próprio prefeito Rogério Pacheco faz questão de afirmar isso. Essa premissa foi levada em conta, inclusive, para a formação do secretariado lá no início dessa Administração. O novo secretário tem experiência nessa área, já tendo atuado na própria Prefeitura, no que pese ser em outro governo e em outro momento.

 

Pessoas próximas de Pacheco e de Bolsi afirmam de forma unânime que a relação entre eles é boa e de confiança, o que contribuiu para que o chefe do Executivo Municipal firmasse o convite, o que foi aceito pelo novo secretário. Essa decisão também teria a simpatia do vice-prefeito, Edilson Massocco.

 

Volto a frisar, que ainda é cedo e há poucos elementos para afirmar com precisão que poderia estar havendo um embarque do MDB no Governo Municipal. Isso depende da confirmação de uma série de acontecimentos, que podem ou não se concretizar. Mas é impossível não fazer esse tipo de leitura, mesmo que seja baseado nos fatos já existentes. O tempo dirá!!!!

COMENTE