ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Coreia do Sul abre mercado para carne suína brasileira
Inicialmente exportarão para os coreanos a JBS de Seara, Pamplona, Aurora e BRF de Campos Novos
Publicado 17/05/2018
 

Por Analu Slongo

O ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Blairo Maggi, anunciou, nesta quinta-feira, dia 17, a abertura do mercado da Coreia do Sul para a carne suína brasileira. Maggi, que se encontra em missão oficial na China, disse que inicialmente apenas quatro frigoríficos credenciados de Santa Catarina, JBS de Seara, Aurora, Pamplona e BRF de Campos Novos, exportarão para os coreanos, mas a expectativa é de que em breve outros estabelecimentos possam ser habilitados e entrem no mercado coreano.



“Com a declaração de país livre da febre aftosa iremos avançar para outros estados brasileiros sem vacinação, em breve. É um mercado de US$ 1,5 bilhão por ano", comemorou o ministro. Maggi viaja neste sábado a Paris para receber da OIE (Organização Mundial de Saúde Animal) o certificado de país livre da febre aftosa com vacinação.

 

As negociações com a Coreia do Sul para exportação de carne suína foram iniciadas em setembro de 2016 durante a visita do ministro Blairo Maggi ao país. E prosseguiram em fevereiro deste ano com a visita da missão chefiada pelo secretário-executivo Eumar Novacki. Missões técnicas coreanas foram enviadas ao Brasil para habilitação dos frigoríficos. A expectativa do setor é de que o Brasil exporte para a Coreia do Sul mais de 30 mil toneladas de carne suína por ano.

 

O ministro Blairo Maggi se reuniu, nesta quinta-feira, mais uma vez, com o ministro do Comércio da China, Zhong Shan, e o chanceler brasileiro, Aloysio Nunes Ferreira, para tratar de questões comerciais entre os dois países. Segundo Maggi, foi discutida a necessidade de diversificação da pauta exportadora brasileira para a China, bem como a importância estratégica do comércio bilateral. Ficou decidido que será formado imediatamente um grupo de trabalho para discutir as medidas de proteção de mercado que têm afetado o comércio de ambos os lados. O ministro da Agricultura brasileiro lembrou que os presidentes Michel Temer, do Brasil, e Xi Jin Pin, da China, durante encontro que tiveram em setembro passado, acertaram que as relações comerciais entre os dois países deveriam ser aprofundadas.

 

Blairo Maggi também participou da abertura da Sial China em Xangai, uma das maiores feiras de alimentos do mundo. O Brasil compareceu ao evento com a presença de muitas empresas agropecuárias. O ministro disse ter ficado satisfeito com a representação brasileira e avisou: “Quem não se faz presente não é lembrado”.

 

Exportação de Carne Suína

 

Em 2017 as importações mundiais de carne suína in natura somaram US$ 16,25 bilhões. A Coreia do Sul foi o terceiro maior importador mundial do produto, atrás apenas do Japão e da China, com US$ 1,53 bilhão e 489,5 mil toneladas em aquisições. Esse montante representou crescimento de 20% em relação ao valor importado em 2016 e 5% sobre a quantidade.

 

As exportações brasileiras de carne suína in natura alcançaram a  cifra de US$ 1,47 bilhão em 2017 (592,6 mil toneladas). Desse montante, 40,5% foram vendas a partir de Santa Catarina, o que representou US$ 593 milhões, tornando o estado o principal exportador do produto.

 

Fonte: Ministério da Agricultura

 

COMENTE