ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Foto: Ilustração/Internet
Mais 26 focos do mosquito da Dengue confirmados em Seara
Município já tem mais de 70 focos e o número pode aumentar
Publicado 11/05/2018
 

Por Cristiano Mortari

O município de Seara está em alerta. Nesta sexta-feira, dia 11, foram confirmados mais 26 focos positivos para o mosquito Aedes Aegypti. A informação foi repassada pela responsável pelo programa de combate à Dengue, Fabíula Pereira. Ela não detalhou os locais onde foram constatadas larvas nesta semana, mas adiantou que um foco foi em bromélias e os outros 25 em armadilhas. Seara passa a ter 76 focos e é provável que na próxima semana esse número aumente, já que várias coletas realizadas ontem estão sendo enviadas para análise.

 

O número equivale a 900% a mais, se comparado com 2017, onde o município registrou apenas 13 focos durante o ano todo. "Estamos realmente em alerta e com atividades voltadas para os locais onde os focos foram encontrados. Já fizemos o trabalho de isolamento de áreas e seguimos orientando a população. O trabalho que seria realizado nas escolas no início do inverno, para orientar as crianças, será adiantado", conta Fabíula. 

 

Ela também registra que no ano passado os focos existiam no centro e nos bairros São João, Niterói e Industrial. Já em 2018, além destes, em mais cinco bairros as larvas foram encontradas. "Neste ano também temos focos confirmados no Bela Vista, Nações, Garghetti, São Daniel e Padre Lídio. A maioria foi encontrada em armadilhas, mas temos casos de larvas em casa, em vasos de flores, por exemplo", comenta Fabíula.

 

A coordenadora do Programa de Combate à Dengue atribui o aumento a vários fatores. "Nosso município é um corredor da região, por aqui passam muitos caros e caminhões e a gente sabe que o mosquito viaja de carona. Também temos um relevo acentuado e isso favorece os criadouros do transmissor. Entre 2015 e 2016, registrávamos os primeiros focos e participei de um evento sobre o assunto em Florianópolis e já nos diziam que a partir do momento que os focos surgissem, seria difícil extinguir, em função destas características", detalha ela. "E um dos motivos desse aumento também é a falta de conscientização das pessoas. O trabalho de visitas, orientação, armadilhas é feito em todos os bairros. As informações são levadas à população, mas infelizmente nem todos colaboram e isso também contribui para o registro destes númerios alarmantes", ressalta Fabíula.

 

Seara também já registrou neste ano, seis casos de pessoas com suspeita de Dengue. Já está confirmado que três foram descartados e os outros três seguem sendo analisados.

 

 

COMENTE