ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Divulgação.
Saretta pede medidas urgentes para resolver embargo da carne de frango
Manifestação ocorreu na última semana, na Assembleia Legislativa.
Publicado 01/05/2018
 

Por Jocimar Soares

O deputado estadual Neodi Saretta está preocupado, especialmente às vésperas do Dia do Trabalhador, com os milhares de trabalhadores da agroindústria e de toda a cadeia produtiva que estão à mercê de um colapso, face ao embargo de carne de frango da União Europeia. “O bloqueio poderá resultar em demissões e em fechamentos de granjas e propriedades, uma verdadeira catástrofe para as famílias catarinenses e também para a economia”.


Por isso, Saretta protocolou pedido para o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) para que seja incisivo, aja com rapidez e tome providências urgentes junto a UE para que o embargo possa ter fim e para que os prejuízos não sejam acumulados. “20 unidades brasileiras exportadoras de carne de aves para o bloco europeu foram atingidas, o que pode afetar cerca de 40 mil trabalhadores”, disse.


O deputado frisou que ao longo de sua história a avicultura catarinense, responsável por 25% das exportações brasileiras, construiu uma trajetória sólida, pautada pela preservação do status sanitário e qualidade dos seus produtos. “A carne de frango catarinense está entre as melhores do mundo e SC é rigorosa no atendimento aos consumidores brasileiros e de mais de 100 países. Tenho certeza que podemos ficar tranquilos sob o ponto de vista da produção e da seriedade daqueles que trabalham neste setor”, afirmou.


Segundo Saretta, o próprio documento da autoridade sanitária europeia  diz que se o Brasil pagar uma sobretaxa poderia exportar aves de forma normal. “Esta é uma prova de que a questão não é sanitária. Se houve em algum momento problema localizado, que seja equacionado pontualmente e não com a penalização de todo o sistema produtivo”.

 

(Fonte: Suzana Rigo/Ascom/Gabinete do Deputado Estadual Neodi Saretta).

 

COMENTE