ATENDIMENTO (49) 3441 2801
Já possui uma conta? Entrar | Cadastre-se

Faça login

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro. É rápido, fácil e garante acesso a diferentes serviços.

Cadastre-se

Caso você ainda não possua uma conta, faça o seu cadastro.

 

Foto: Divaléia Casagrande
Vereadores de Concórdia encaminham Moção de Aplauso ao juiz Sérgio Moro
Documento foi aprovado na Sessão de terça-feira, dia 06
Publicado 06/02/2018
 

Por Cristiano Mortari

A Moção 2/2018 da Câmara de Vereadores de Concórdia trata de um reconhecimento ao trabalho feito pelo juiz federal Sergio Moro, titular da 13º Vara Criminal da Justiça Federal do Paraná. O documento reconhece o “brilhante trabalho que vem sendo desenvolvido, diante das investigações da  Operação Lava Jato, certos que há pela frente muitas ações a realizarem-se no combate a corrupção”.



A moção foi aprovada por oito votos e quatro abstenções. Aprovaram o documento os vereadores Claiton Casagrande, Anderson Guzzatto, Artêmio Ortigara, Closmar Zagonel, Fabiano Caitano, Jaderson Miguel Prudente, Marilane Fiametti Stuani, Mauro Fretta e Valcir Zanella.



Na tribuna se manifestaram os vereadores Claiton Casagrande e Anderson Guzzatto, ambos do PR. Casagrande disse que respeita os vereadores que optaram por não assinar o documento, mas ressaltou um pouco da história do que é considerada hoje “a maior investigação sobre corrupção conduzida até hoje no Brasil”.



Casagrande comentou que a Operação que começou em 2014 já chegou na 47ª fase. O vereador também comentou a principal diferença para as prisões e condenações dos envolvidos: os que têm foro privilegiado e os que não têm. “Um exemplo é o ex-presidente Lula, que já foi julgado e condenado em primeira instância a 9 anos e 6 meses de prisão e teve a pena ampliada no Tribunal Regional Federal (TRF) para mais de 12 anos”, afirmou.


O vereador também disse que dados mostram que Lula já foi denunciado 9 vezes pelo MPF; é acusado 246 vezes de lavagem de dinheiro; responde 21 vezes por corrupção passiva e 3 por formação de quadrilha. Existem ainda 4 acusações por tráfico de influência e 2 por obstrução da Justiça. “ Nesse ano de eleições cabe a todos nós, entre vários critérios buscar eleger políticos ficha limpa”, pediu na tribuna.


Anderson Guzzatto (PR) comentou que desde que a operação teve início já foram feitas foram feitas 67 acusações criminais contra 282 pessoas (sem repetição de nomes), sendo que em 34 casos já houve sentença por crimes de corrupção, contra o sistema financeiro, lavagem de dinheiro, formação de quadrilha, entre outros. Até o momento houve 165 condenações contra 107 pessoas. Ao todo, R$ 10,3 bilhões são alvo de recuperação e R$ 3,2 bilhões em bens dos réus já foram bloqueados. 



O vereador também reforçou que a punição deve ser para todos os corruptos. Conforme ele, não se pode acreditar em perseguição ou em foco em apenas em uma pessoa. “A corrupção destrói a nossa sociedade e precisamos cada um fazer a sua parte para um Brasil melhor”, afirmou.

 

(Fonte: Divaleia Casagrande/Ascom/Câmara de Vereadores)

COMENTE